Operação é relacionada à investigação da morte do jornalista Maurício Campos Rosa, dono do jornal O Grito, ocorrida em 2016. 

A Polícia Civil esteve na Prefeitura de Santa Luzia, na manhã desta terça-feira (25), para cumprir diligência relacionada à investigação da morte do jornalista Maurício Campos Rosa, ocorrida em agosto do ano passado.

A assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que nenhum mandato de prisão foi cumprido, mas não deu mais detalhes sobre a operação, que seguirá em sigilo para “preservar as investigações”. Ainda de acordo com a assessoria, a Polícia Civil só dará informações na conclusão do inquérito.

De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, a diligência se deu unicamente para intimar um funcionário da Prefeitura que não havia sido encontrado em sua residência pela manhã. Não foi feita nenhuma apreensão de documentos ou equipamentos eletrônicos do funcionário, ainda segundo a assessoria.

Atualização

Em nota oficial divulgada somente no final da tarde desta terça-feira, a Comunicação da Prefeitura informou que foram dois funcionários públicos procurados pela Polícia Civil, e não apenas um – contradizendo o que disseram para a equipe do Observatório Luziense, DUAS VEZES, durante a apuração desta matéria. 

Na mesma nota, a assessoria do Executivo informou que o “episódio em nada afetou a rotina de trabalho de nossos funcionários”.

Comments

comments