18641401_1196517320460493_317940543_o 

União de esforços para combater a violência que teima em crescer em Santa Luzia, notadamente na região do Distrito. Foi o que aconteceu na última sexta-feira (19), no Palmital, quando a equipe de Mediação de Conflitos da entidade Fica Vivo! se reuniu com outras instituições, como o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), representantes de escolas estaduais e lideranças do bairro, para buscar uma aproximação maior com a comunidade, promovendo reuniões itinerantes todos os meses.

Ao todo, são três polos distribuídos no Distrito de Santa Luzia, entre São Benedito, Via Colégio e Palmital. O programa de prevenção social à criminalidade é voltado para jovens de 12 a 24 anos e possui foco na prevenção e na redução de homicídios dolosos, atuando em áreas que registram maior concentração de homicídios.

Para o gestor do programa, Robert de Oliveira, a importância é pensar o combate à violência com outros instrumentos que não sejam só a via militar. “Mas pensar a segurança pública como uma responsabilidade cidadã, incluindo os jovens como responsáveis e pensar a mudança cultural através do diálogo e outras perspectivas”, disse.

Conflitos específicos da região

18618641_1196517417127150_1918973940_oDe acordo com Oliveira, a região do Palmital e do entorno é marcada por conflitos pontuais de gangues, vinganças pessoais, espancamentos e violência contra a mulher. Atualmente, as rixas se dão entre a gangue de jovens e adolescentes do Palmital B e da Amália Caldas Vargas –principal avenida do Palmital A.

Para aplacar esses conflitos, são selecionadas pessoas que se identifiquem como lideranças comunitárias e que estejam dispostas a conversar diretamente com esses meninos para mostrar uma realidade que vá além da violência. “No Palmital B, nós já temos essa ponte de diálogo. Mas para o Palmital A nós ainda não conseguimos, até mesmo pela falta de recursos financeiros”, disse Oliveira.

De acordo com o gestor, a verba do programa sai da Secretaria de Estado de Segurança Pública. “Existe um teto, um limite orçamentário que queremos romper. Ele nos impede, por exemplo, de ampliar o número de oficinas, mais equipes de oficineiros. Já é um avanço o que temos, mas sempre é bom poder aumentar”, avaliou, esperançoso.

Os dados apresentados por ele durante a encontro revelam números preocupantes. Segundo a análise, o número de homicídios aumentou, proporcionalmente, de 2016 para 2017. Ano passado, foram registrados 15 assassinatos. Este ano, somente até o início de maio, já são 14 mortes violentas, sete delas apenas em abril. Isso sem contar as tentativas de homicídio, seis no total.

Durante o encontro, foi ressaltada a importância das associações e dos projetos sociais para o resgate de jovens e adolescentes. A proposta geral é que seja pensada alguma ação para o bairro- como uma caminhada pela paz, por exemplo.

A próxima reunião acontecerá na escola Reny de Souza Lima no dia 23 de Junho às 15h e é aberta a comunidade.

Fica Vivo!

Palmital

Av. Etelvina Souza Lima, 2401 – Conjunto Habitacional Palmital. Cep: 33140-000.

Tel: (31) 3635-4647

Via Colégio

  1. Bahia, 782 – Via Colégio – São Benedito. Cep:33125-400.

Tel: (31) 3637-3570/3636-8725

Comments

comments