Também não há previsão para o fim do escalonamento do pagamento e incorporação do reajuste do salário dos professores

O Governo de Minas não sabe como e nem quando irá pagar o 13º salário dos servidores públicos estaduais. Com dificuldades para quitar a folha mensal regular – o pagamento tem sido feito em escalas desde 2016 -, a Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplag) não soube informar o cronograma de acerto do benefício em 2017. Foi o que revelou o subsecretário Ricardo Lopes em audiência pública realizada nesta quarta-feira (22) na Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa.

Ricardo também não soube responder as indagações dos deputados sobre o fim do escalonamento e quando será incorporado o reajuste de 7,64% ao salário dos professores da rede pública estadual, anunciado pelo Ministério da Educação em janeiro deste ano. Ele também não informou quando será feito o pagamento da segunda parcela do salário de outubro, que deveria ter sido depositado ontem (quarta-feira).

A audiência foi convocada para avaliar o cumprimento das metas fiscais estabelecidas para o Estado referentes ao segundo quadrimestre de 2017. O subsecretário garantiu que haverá superávit de R$ 2 bilhões, o que foi questionado por deputados que fazem oposição ao governo. Os secretários de Estado Helvécio Magalhães (Planejamento) e José Afonso Bicalho (Fazenda) não compareceram à audiência pública.

Comments

comments