Apesar da cobrança de ingressos, Executivo municipal destinou R$ 685 mil para contratação de bandas e mais de R$ 200 mil para a organização e divulgação do evento

IMG-20170615-WA0050-300x298

Novecentos mil e quinhentos reais. Esse é o gasto realizado pela Prefeitura Municipal, até o momento, para a realização da Feira de Santa Luzia, que irá acontecer entre os dias 29 de junho e 2 de julho, no Haras LG. A quantia se divide entre contratos com as principais bandas e cantores que se apresentarão no evento e a contratação de uma empresa para divulgação da feira. Apesar do aporte financeiro vindo dos cofres públicos, a festa não será gratuita: os ingressos estão sendo vendidos por 20 reais, valor definido pela própria prefeitura.

De acordo com a edição de 1º de junho do Diário Oficial de Minas Gerais, a prefeitura assinou com quatro empresas para a contratação dos artistas: EC 13 Produções Ltda (Eduardo Costa), Fantasi Show (Raça Negra), Caso Marcado Shows e Eventos (César Menotti e Fabiano) e Al Produções Artísticas (Quarteto Fantástico do Samba). Todos os contratos foram firmados no dia 31 de maio, sob a modalidade inexigibilidade de licitação. Confira os valores:

Eduardo Costa – R$ 195.000,00

Raça Negra – R$ 145.000,00

César Menotti e Fabiano – R$ 185.000,00

Quarteto Fantástico do Samba – R$ 160.000,00

Já no dia 14 de junho, o Diário Oficial trouxe a homologação do Pregão Presencial nº 020/2017, cujo objeto era a contratação de empresa para divulgação da Feira Agropecuária. A vencedora foi a mesma AL Produções Artísticas Ltda, que apresentou proposta no valor de R$ 215.500,00. O contrato foi assinado dois dias antes, no dia 12 de junho.

Cobrança de ingressos

 No Termo de Referência anexado ao edital do pregão eletrônico, a Prefeitura elencou uma série de exigências que devem ser cumpridas pela empresa vencedora. Uma delas faz referência à cobrança de ingressos, que “deverão ser vendidos ao valor de R$ 20,00 (vinte reais) mais 01 (Um) Quilo de alimento não perecível. Será de total responsabilidade da empresa contratada a organização e operacionalização da bilheteria nos postos de troca de ingressos, bem como a coleta em valores e dos alimentos, armazenamento dos alimentos, guarda do montante financeiro arrecadado, prestação de contas e o repasse integral dos valores à Prefeitura de Santa Luzia”.

Ainda segundo o Termo de Referência, “a prefeitura designará um ou mais servidores que fiscalizarão e acompanharão todo o processo de troca de ingressos, bem como da guarda, conferência, prestação de contas e acerto de contas ao final do processo de troca dos ingressos”.  O documento, contudo, não faz menção à destinação dos valores e dos alimentos arrecadados.

O Observatório Luziense procurou a assessoria de comunicação da Prefeitura para saber a origem da quantia destinada à contratação das bandas, quais critérios foram adotados para a escolha dos artistas, por que não se deu preferência para artistas da cidade, o motivo da cobrança de ingressos e a destinação do valor arrecadado (bem como dos alimentos) e que outros gastos estão previstos mas, infelizmente, não obtivemos resposta.

Exigências para organização

Boa parte do valor que a AL Produções Artísticas Ltda receberá para a organização da Feira será destinado à divulgação da festa. O Termo de Referência exige que a empresa vencedora espalhe 30 outdoors pela cidade, durante 25 dias. Prevê a confecção e distribuição de 100 mil panfletos, inserção de anúncio de meia página em dois jornais locais, 100 chamadas de 15 segundos em rádio de nível estadual e 300 horas de divulgação em carro de som.

Também caberá à empresa cumprir as exigências dos artistas, que enviaram previamente uma série de recomendações para seus camarins. Eduardo Costa, por exemplo, solicitou uma garrafa do whisky escocês Old Parr e uma garrafa de vodka importada (Absolut ou Ciroc), 24 latas do energético Red Bull, 24 latas de cerveja, 12 garrafas de Smirnoff Ice e seis copinhos de Danoninho, dentre outras bebidas e quitutes. A dupla César Menotti e Fabiano não pediu bebidas alcóolicas, mas exigiu um frango assado e muitas frutas: mamão papaia, maçã, uva, banana, manga, pêssego, abacaxi, abacate e caqui. O camarim do Raça Negra deverá ser abastecido com duas garrafas de whisky Chivas, 16 latas de Red Bull e três unidades de drops Halls extra forte.

O Observatório entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da prefeitura, mas ainda não obteve resposta para os questionamentos.

 

 

 

 

Comments

comments