Ludmila Bernardes contou sobre como surgiu a ideia do canal, lembrou sua trajetória e conversou com moradores de Santa Luzia e BH

Uma manhã dedicada a trocar experiências sobre inovação, trabalho junto a comunidades e empreendedorismo social. Esse foi o mote do encontro CONEXXIMENTO – conexões, conhecimento e impacto –, realizado no último sábado (16), no Centro Cultural Zilah Sposito, e que contou com a participação de jovens de Belo Horizonte e Santa Luzia. E que teve a editora do Observatório Luziense, Ludmila Bernardes, como uma das convidadas para debater com os presentes.

Ludmila contou como surgiu a ideia de criar o Observatório Luziense, que começou a ser projetado em julho e foi ao ar no final de setembro de 2016, e sobre como idealizou a linha editorial que o site tem seguido desde a sua fundação. “Santa Luzia precisava de um canal que encarasse a comunicação de maneira profissional e que servisse para aumentar a sensação de pertencimento dos luzienses com a cidade. Temos que fiscalizar o poder, sim, mas também nos pautar em mostrar o que existe de bom, de positivo, no município”.

Uma das preocupações do Observatório, destacada por Ludmila, é não ter uma editoria de polícia no Observatório. “Para isso, já existe a mídia dita tradicional de Belo Horizonte, que só estampa Santa Luzia em suas páginas para falar de criminalidade. A cidade não é só isso, pelo contrário. Todos os dias, temos exemplos de pessoas e grupos que atuam de modo a fazer daqui um lugar melhor para viver”.

Quem também conversou com os jovens foi o empreendedor social Yuri Senna. Morador de Santa Luzia, ele falou sobre o projeto de crowdfunding que criou em 2016 e lhe possibilitou participar do maior evento mundial de empreendedorismo jovem da Europa, na Alemanha, e da importância de se criar uma ampla rede de contatos para conseguir tirar do papel ideias aparentemente impossíveis. Em 2018, ele dará início a uma ação social junto à população carcerária da cidade.

O ConeXXImento foi promovido pela designer e ativista social Agatha Martins e faz parte do programa Pense Grande, desenvolvido pela Fundação Telefônica para difundir a cultura do empreendedorismo de impacto social com tecnologia digital a jovens de todo o Brasil. Saiba mais:

Comments

comments